PREZADOS LEITORES

PREZADOS LEITORES

30 de abril de 2010

Usuários não respeitam assentos reservados aos idosos nos ônibus



O sistema de transporte coletivo transporta cerca de 6,9 milhões de passageiros por mês. Deste total, 1,9 milhão compreende as gratuidades (estudantes, idosos, carteiros e até presidentes de associação de bairro).
Nos veículos de transporte coletivo é obrigatória a reserva de 10% dos assentos para os idosos, com aviso legível, segundo o Estatuto do Idoso. Mas, a reportagem percorreu alguns ônibus e flagrou a falta de respeito com os mais experientes.
Nos ônibus que a reportagem do Midiamax esteve, há adesivos em todos e visíveis, próximos aos assentos preferenciais, porém a situação que se pode perceber é que muitas vezes o assento está ocupado por um passageiro comum que não cede o lugar para quem tem direito.

DesrespeitoNo ônibus que faz a linha entre os terminais General Osório/Aero Rancho (080), alguns idosos ficaram de pé, enquanto jovens sentavam. Diante da situação uma senhora que preferiu não se identificar se revoltou. “Eu fico revoltada. Vão esperar acontecer um acidente para fazerem alguma coisa. Os cobradores deveriam orientar que ali é assento preferencial”, irritou-se.
A passageira que estava sentada no assento preferencial preferiu levantar e não conversar com a reportagem. Saiu ofendendo a senhora que reclamou e por pouco não causou uma confusão dentro do ônibus.
‘Estão mais cansados que nós’
Já na linha entre os terminais Morenão/Julio de Castilhos (085) o clima foi menos tenso, mas ainda assim alguns idosos reclamaram. Esse é o caso da aposentada Irene Carrijo (85) anos. Ao entra no ônibus dois assentos estavam ocupados por idosos e um terceiro por uma jovem. “Acontece de algumas pessoas não cederem, mas eu não ligo não, de certo estão mais cansados do que nós”, desconversa.
Já sentada em um lugar cedido por outra pessoa, mas longe dos assentos preferenciais, ela desabafou. “Geralmente são os jovens que não dão lugar, o cobrador e o motorista deveriam cobrar e ajudar a fiscalizar, mas o que eles podem fazer?”.
O funcionário público Amaral Augusto (45) acredita que é obrigação dos cobradores e motoristas cobrar isso. “Mas eles também temem ser recebidos com agressividade, pois já vi gente falando que idosos não pagam passagem, então por que ceder o lugar. Não percebem que é uma questão de educação”, explica.

Legislação
Segundo a Lei Federal 10.741/2003, consta no artigo 39 que maiores de 65 anos fica assegurada a gratuidade dos transportes coletivos públicos urbanos e semi-urbanos, exceto nos serviços seletivos e especiais, quando prestados paralelamente aos serviços regulares. Além da gratuidade, também é assegurado no parágrafo II que nos veículos de transporte coletivo de que trata este artigo, serão reservados 10% (dez por cento) dos assentos para os idosos, devidamente identificados com a placa de reservado preferencialmente para idosos.
Também há a Lei Municipal 4.584/2007, nos parágrafos I e II do artigo 63, dispõe que nos veículos do transporte coletivo será assegurado assento, no mínimo conforme percentual determinado em Lei específica [a lei acima], para os idosos e que os assentos destinados ao uso preferencial por portadores de deficiência, gestantes e idosos deverão estar devidamente, identificados.
Fonte: Midiamax

6 comentários:

Anônimo disse...

sei que os idosos tem direito a prioridades, mais é preciso deixar bem claro que o seu direito termina onde começa o do outro.
Hoje estive em um posto médico, onde haviam várias pessoas a espera de atendimento e dentre elas alguns idosos que chegaram depois e queriam passar na frente dos que chegaram antes , por causa dessa prioridade.
Foi um verdadeiro tumulto e troca de agressões á atendente que tentava organizar a fila.
Da mesma forma ocorre nos ônibus, os deficientes mentais, mulheres grávidas,etc, são insultados pelos idosos que entendem que aquele lugar pertence somente a eles.
Está na hora de acabar com essa desordem.

Waldson Gutierres (Antigão) disse...

Eu diria que quem faz um comentário e se identifica como anônimo não merece crédito algum.

Tenho observado DIARIAMENTE o desrespeiro á Lei no que tange aos assentos reservados para pessoas idosas nos ônibus do Município de São Paulo. Viajo de ônibus há mais de 40 anos e nunca observei qualquer falta de educação por parte de idosos em relação aos demais passageiros dos ônibus.
Se existe uma Lei ela deve ser respeitada, sob pena de vivermos numa Anarquia.
Que os desrespeitadores não venham depois reclamar dos que não respeitam as Leis em relação ás suas próprias pessoas, pois não têm esse direito.

Flávia Conti disse...

Quero deixar registrado que aconteceu isso comigo. Sou gestante e fui empurrada por um idoso quando já estava sentando no assento preferencial. Quando a senhora ao lado disse a ele que eu era gestante ele disse: " Não estou nem ai".
O seu direito acaba quando começa o do outro! Direitos iguais.

Anônimo disse...

Olá sei que 90% dos idosos são desrespeitados em todo o BRASIL,e isso é muito vergonhoso pois todos nós um dia seremos idosos.O que eu acho que falta e mais informação tanto para o idoso,quanto para nós.Existem muitos idosos que até abusam um pouco mas todos nós devemos respeitar as leis.

Anônimo disse...

"Viajo de ônibus há mais de 40 anos e nunca observei qualquer falta de educação por parte de idosos em relação aos demais passageiros dos ônibus."

Por favor me indique em qual município mora para que eu possa me mudar imediatamente para tal.


Hoje eu estava passando mal, com muito enjôo e ânsia de vômito, e estava sentado em um assento preferencial. Mesmo sempre cedendo lugar para os mais velhos, e sempre cedo, mesmo quando não é preferencial, hoje não o fiz.

Graças à isso, uma mulher, logo no banco de trás, logo começou a reclamar de "O moço até fechou os olhos para não ver os velhinhos entrando".

Eu pessoalmente acho um absurdo leis que restrinjam o direito de ir e vir das pessoas. Waldson Gutierres, acho que deveria aprender o que é uma Anarquia e como se comportam os seus participantes antes de usá-la como exemplo. E, ao comentário acima, descobriu esses 90% aonde? Pode me indicar a fonte da pesquisa?

Quem falou com cidadania, no final das contas? Eu que não cedi assento, ou a desconsideração por eu, que passava mal?

Hipocrisia. É por isso que o mundo é o que é. Hipocrisia.

Angélica disse...

Sabemos que , como consequência natural do tempo, o envelhecimento faz todas as pessoas sofrerem com a deterioração da saúde.Todavia não precisamos retirar ou dimunuir a dignidade e o direito daqueles que abriram e facilitaram o nosso acesso para um mundo melhor. Fazer uma sociedade mais justa para os mais idosos é um compromisso que exige de cada um de nós a coragem de derrubar os padrões estereotipados os quais classificam o valor de uma pessoa na eficiência e na sua vitalidade fisíca. Ao maltratar ou falar mal de uma pessoa idosa, pare um instante e pense que amanhã pode ser você nesta situação.